#PodcastRibombo sobre Escrita na Quarentena

Por Rafael Simione Paiva em 5 de junho de 2020

Como é bom escrever, né? Pena que nem sempre temos tempo, vontade e cabeça pra isso. Algumas pessoas o fazem com certa facilidade, enquanto outras precisam ficar meia hora olhando pro nada pensando em qualquer coisa antes de iniciar um texto, como é o meu caso; e pensando nisso, o episódio dessa semana de nosso podcast é sobre esse processo as vezes tão perturbador em nossa vida, seja escrevendo um artigo, um tcc ou mesmo uma prova de alguma disciplina da universidade.
 
Como de costume, esse episódio conta com participações muito especiais, com a Ana Lúcia, a Rachel Hidalgo e o Felipe Nóbrega na apresentação, e com o Sérgio Barcellos, a Andreia Pires, Suelen Rubira, Guilherme Almeida e eu, Rafael Simione, como convidados do programa.
 
Neste episódios os participantes falam um pouco em como está se dando o processo de escrita durante essa quarentena, que por mais que esteja nos dando um baita de um tempo pra desenvolvermos atividades que envolvam escrita e leitura, ao mesmo tempo nos atrapalha muito, em razão de toda a preocupação que nos impõe, seja com familiares, amigos ou com nós mesmos.
 
É válido eu ressaltar um elemento muito importante desse episódio: quando ouvimos a fala do professor Sérgio, é possível escutar ao fundo, num volume bem baixo, uma das maiores e melhores bandas da história da humanidade interpretando uma de suas músicas clássicas, eu falo, senhoras e senhores, do Iron Maiden, tocando Fear of the Dark, o que me faz recordar do dia que realizei um de meus sonhos, que era ir em um show dos caras. Eu poderia discorrer mais sobre o poder o Metal em unir duas classes atualmente antagônicas, que são alunos e professores, já que em razão do show, um de meus professores aceitou adiar minha prova porque ele também ia ao show, e seria inviável eu chegar em casa às 5 da manhã e às 13:30 realizar uma prova difícil, mas voltarei para o foco do episódio.
 
Junto dos relatos acerca do processo de escrita, os apresentadores falam também sobre a realização dos dossiês que o grupo está produzindo, em que um integrante por vez propõe um tema para os demais escreverem um texto refletindo sobre, e posterior à essa escrita e revisão dos textos, nós publicamos esses dossiês, com o intuito de mantermos a escrita em dia, para não enferrujarmos, como também para proporcionar um material de qualidade para a leitura, já que esses textos são publicados em nosso site, possuindo livre acesso.
 
Por fim, dedico esse parágrafo todo ao esclarecimento de algumas questões tratadas no episódio. Primeiro, Felipe, eu sou da zona oeste de São Paulo; segundo, meu sobrenome é SIMIONE, Felipe; terceiro, quando surge o questionamento quanto ao motivo da academia escrever de uma maneira nem um pouco acessível para a grande parcela da população, eu digo que é uma manifestação de nossa arrogância quanto graduados, mestres e doutores, pois desde que respeitemos teorias e métodos, não vejo problema algum em produzirmos um discurso que todos entendam, é uma grande tristeza que quase ninguém se importe com isso e produza apenas pensando nos “queridos” pares (aqui acrescento aspas, pois queria atribuir um outro adjetivo à eles, mas por se tratar de um canal de comunicação do grupo como um todo, ‘queridos’ está de bom tamanho e mantém o caráter de respeito); e quarto, gostaria de agradecer às avaliações positivas dos colegas de grupo quanto à minha forma de escrita aqui no site, que é onde me sinto mais a vontade para escrever do jeito que penso, mas que ainda tomo um certo cuidado pra não deixar escapar nenhum palavrão no texto, o que poderia complicar um pouco minha vida, me fazendo levar uma bronca da minha orientadora (hehehe).
 
Então, colegas que frequentam esse domínio na internet, espero que também gostem desse modelo de escrita, talvez esse seja o mais próximo do verdadeiro Rafael escrevendo, diferentemente de um artigo, com seu impecável e complicado rigor científico exigido da gente, que por vezes acaba por transformar totalmente nosso modo de ser.
 
Ouçam e compartilhem pelos links:
 
Spotifyhttps://open.spotify.com/episode/7B7JRhnIqzH56B2PxkQmlf?si=UWp5LqNnQbKKD1wJt1OagA
 
Anchorhttps://anchor.fm/ribombo/episodes/02E10—Escrevendo-na-pandemia-ef1kaq
 
Google Podcasts
https://podcasts.google.com/?feed=aHR0cHM6Ly9hbmNob3IuZm0vcy9jZWY0M2ZjL3BvZGNhc3QvcnNz
 
Radio Publichttps://radiopublic.com/ribombo-6vr0kX/s1!18521
 
E também na página da Furghttps://salapodcast.furg.br/podcast/ribombo
 
Participantes: Ana Lúcia Goulart, Andreia Pires, Felipe Nóbrega, Guilherme Almeida, Rafael Simione, Sérgio Barcellos e Suelen Rubira
Coordenação do projeto: José Vicente de Freitas e Felipe Nóbrega
Direção e edição: Alisson Lucena

Escrito por: Rafael Simione Paiva

Graduando em História (FURG). Tema de pesquisa: A potencialidade da Educomunicação no Rap Paulista.

Redes sociais


Textos de Apoio


O Ribombo organiza encontros quinzenais para discutir seus temas de pesquisa e elaborar novos projetos no campo da EA. Clique no botão para ir à página dos textos de apoio de cada reunião

Parceiros


logo furg
logo ppgea

Colunistas